11/11/2011

As cem melhores músicas dos Beatles

Eu hoje irei brincar novamente de editora da Rolling Stones, selecionando as minhas cem músicas dos Beatles em duas postagens. Eu realmente não concordei com a listagem da revista, e logo após vê-lá selecionei minhas trinta prediletas, mas trinta é um número muito pequeno para uma banda que em todas as suas canções foram marcantes, então hoje vou tentar selecionar as cem melhores, lembrando que isso vai ser uma missão quase impossível. Claro que vai faltar um sucesso ou outro, mas é difícil escolher apenas cem canções de um grupo que todas as músicas eram memoráveis. Lembrando que não valem covers, segue a lista, e nos comentários fale qual é a sua favorita, e dê sugestões para a Part. 2. Lembrando que a lista não é técnica, apenas baseada na minha humilde opinião de beatlemaniaca.



50. I Feel Fine (1964):





Eu acredito que é realmente injusto uma música tão boa quanto I Feel Fine ocupar uma posição tão acima, mas é realmente exaustivo classificar os Beatles, por que eles são tão perfeitos. A banda nessa música tinha descoberto um novo efeito com as guitarras, que acontecia quando aproximava ela dos amplificadores, um som marcante mostra como a banda era curiosa.


49. Hey Bulldog (1968):





A música que foi gravada para o filme Yellow Submarine foi uma das últimas que teve harmonia dentro do estúdio, pouco antes da bomba estourar e ter a hostilidade que acompanhou Lennon e McCartney nos estúdios, a canção foi uma das poucas gravadas com riffs de piano e contém uma animadora risada da dupla Paul e John. Uma das poucas que foi permitida a gravação no estúdio, vemos a banda em harmonia e Paul imitando de forma hilária um buldogue.


48. Taxman (1966):





Eu adoro essa música, assim como todas que estão em Revolver. Ela é uma crítica de George Harrison, por todos os impostos cobrados do governo britânico. O rapaz franzino ficou indignado ao ver que de parte de tudo o que ele ganhava ia para o governo britânico comandado pelo Sr. Wilson, além de descobrir que os Beatles ajudavam a economia inglesa com as vendas de discos, entre outras coisas. Nessa canção George mostra seu potencial como compositor, que ficou mais claro ao longo dos anos.


47. Polythene Pam/ She Came in Throught Bathroom Window (1969):





As duas canções foram gravadas num mesmo bloco para entrarem no disco Abbey Road. A primeira foi escrita por John Lennon e falava sobre um casal que fazia sexo selvagem dentro de uma sacola de polietileno, e a segunda composta por Paul fala de uma fã que invadiu seu apartamento pela janela do banheiro. Todas as músicas do Abbey Road foram compostas de forma individual, mas o fato de serem gravadas em apenas um bloco dá um toque especial ao álbum.


46. Im a Loser (1964):





A canção da dupla Lennon/McCartney é mais de John do que de Paul, foi feita após o lendário encontro com Bob Dylan onde eles fumaram maconha pela primeira vez. Na canção John segue o estilo de Dylan, e tenta colocar mais poesia em sua letra, lançada no disco Beatles For Sale é memorável por mostrar o amadurecimento do grupo.


45. Oh! Darling (1969):





A música de Paul McCartney gravada para o disco Abbey Road, talvez seja uma das mais conhecidas do FabFour, mesmo não tendo sido lançada como single. Paul ao compô-lá queria uma balada ao estilo rock dos anos cinquenta, por isso todo dia de madrugada ele ia aos estúdios da Abbey Road para grava-lá e conseguir aquela voz forte 'de quem esteve uma semana cantando ao vivo'. John Lennon mais tarde diria que aquela canção era mais parecida para o seu tipo de voz.


44. Helter Skelter (1968):





Paul McCartney teve a idéia de escrever a canção após ver uma entrevista de Pete Townshend dizendo que I Can See For Miles era a música mais barulhenta que o The Who já tinha feito, quando ele a escutou não achou ela tão barulhenta assim e decidiu fazer melhor, assim surgiu Helter Skelter. No final da música vemos Ringo gritando a famosa frase 'I've got blisters on my fingers', dizem que ao final da canção os dedos do baterista dos Beatles já estavam sangrando. A música doo Helter Skelter é considerado por muitos a primeira canção de Heavy Metal de todos os tempos graças a brutalidade dela.


43. Come Together (1969):





A lendária música Come Together faz parte do LP Abbey Road. John chegou ao estúdio com uma canção que imitava claramente You Can't Catch Me de Chuck Berry, então Paul incrementou o baixo e inseriu alguns acordes de guitarra para evitar um processo. Na hora de grava-lá John falava 'shoot me' uma gíria inglesa usada por drogados para pedir que injeta-se heroína neles, então Paul forçou o baixo para cobrir o que o companheiro falava, assim sendo audível apenas algo como 'shoot'. A música nonsense, retirou o refrão Come Together do slogan de Timothy Leary para governador da Califórnia. Grande obra de John, com um baixo magnifico de Paul.


42. Don't Bother Me (1963): 





A primeira canção de George Harrison a ser inclusa em um LP é simplesmente mágica, bem ao estilo mistico dos Beatles. Ele a escreveu depois que um jornalista perguntou por que ele não escrevia suas próprias canções, então em um dia numa cama de hotel ele resolveu compor e saiu essa bela canção que mostra como desde o inicio o garoto franzino tinha potencial.


41. She's Leaving Home (1967):





Todas as músicas do Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band são fantásticas, mas em especial eu gosto muito dessa composição do meu beatle favorito, que conta a história de uma menina que fugiu de casa. A idéia para a canção que foi gravada em estilo barroco, surgiu quando Paul abriu o Daily Mail e viu a notícia de que uma jovem de 17 anos havia fugido de casa, a música é ótima e com certeza um clássico, como tudo o que vem dos Beatles.


40. A Hard Day's Night (1964):





Uma das mais conhecidas do FabFour, é impressionante graças a rapidez que um clássico que permanece vivo por anos foi escrito; O filme A Hard Day's Night precisava de uma canção titulo, assim os Beatles foram intimados a compô-lá, e atrás de uma caixa de fósforo em pouco tempo eles compuseram esse hino.


39. I've Just Seen A Face (1965):





Feita numa época em que Lennon e McCartney estavam a compor músicas de forma individual, essa canção foi feita por Paul McCartney e teve pequenos ajustes de Lennon. Tocada com três violões mostra um novo lado dos Beatles, desenvolvido após o encontro com Dylan e o uso da maconha. Vale apena ouvi-lá também na versão Across The Universe.


38. Penny Lane (1967):





A música nostálgica de Paul McCartney relembra sua infância em Penny Lane, uma rua de Liverpool. Ela foi gravada nas sessões de Sgt. Peppers, porém foi lançada em um compacto antes do lançamento do LP, assim só foi inclusa no LP do filme Magical Mystery Tour. 


37. Dear Prudence (1968):





A música foi escrita por John, durante o curso de meditação transcendental na Índia, Maharishi Mahesh Yogi. A música foi inspirada em Prudence Farrow, uma garota que não participava das atividades em grupo, só ficava trancada dentro de um armário meditando, John e Paul preocupados com ela tentava anima-lá com palhaçadas ou músicas dos Beatles, porém nada fazia ela olhar para o novo dia, então inspirado em uma técnica de dedilhado que ele havia aprendido lá John compôs essa bela canção. Gosto dela, pois toda vez que estou para baixo, escuto e abro os olhos para o novo dia, reparo nas coisas pequenas do mundo e saio para me divertir. Lembrando que em Across The Universe tempos uma ótima interpretação dessa bela canção.


36. Lovely Rita (1967):





Outra fabulosa canção do Sgt. Peppers, foi composta por Paul com uma ajudinha do seu amigo John, em homenagem as mulheres conta a história de uma guarda de trânsito e de como o narrador ama ela, no meio da música os garotos dos Beatles pegam alguns papéis e pentes e dão um efeito especial há canção. Gosto muito dessa, Paul era um grande compositor, que conseguia tirar música de coisas simples do dia a dia.


35. With Little Help Form My Friends (1967):





Simplesmente fantástica, é uma linda composição de McCartney com uma pequena ajudinha de seu amigo Lennon, cantada pelo nosso fofo Ringo. Amo ela, e o jeito como ela fala da importância de uma amizade, são em clássicos como esses que vemos como os Beatles era mágicos e sentimos um pedaço de toda a magia que fez parte dos belos anos sessenta.


34. Tomorrow Never Knows (1966):





Uma das primeiras músicas experimentais do FabFour foi criada com o sombrio nome de Mark 1, John Lennon tirou a frase principal da música do Livro dos Mortos do Tibete, e não tinha mais nada além dessa frase para a canção, ao querer criar algo inovador John e George Martin tentaram adicionar efeitos sonoros como a guitarra invertida e o fato de Lennon cantar através de um alto-falante. Um grande sucesso da banda, mostrou um pouco das experiências musicais que ocorreriam a frente.


33. Lucy In The Sky With Diamonds (1967):





Emblemática canção do Sgt. Peppers é revolucionária, a música é mágica graças ao fato de nos confundir, ás vezes achamos que ela está acelerada e ao mesmo tempo mais lenta, só os Beatles e George Martin mesmo para criar algo tão fantástico. Ela também causou grande polêmica por seu nome ter as iniciais de LSD, droga muito associada a banda, mas John rebateu as críticas falando que o titulo foi inspirado em um desenho de seu filho Julian.


32. Run For Your Life (1965):





O álbum Rubber Soul é o meu predileto pelo fato dele ser o percussor da sofisticação da música popular. Uma das músicas que eu particularmente gosto muito é Run for Your Life, onde John Lennon conta a história de um homem ciumento avisando a sua amada que não perdoaria uma traição, e que se isso um dia ocorrer seria bom ela correr por sua vida. Acho ela uma canção muito bem elaborada, com um violão marcante e como sempre vocalização impecável do grupo.


31. Girl (1965):





Outra brilhante canção de John  do álbum Rubber Soul, mostra a evolução do grupo musical de maior sucesso comercial de todos os tempos. Depois da experiência com Dylan, John se empenhou em colocar poesia em suas músicas, e no LP Rubber Soul ele começa a cuspir sua alma para fora, e escrever sobre si próprio, Girl nada mais é do que um retrato disso.


30. Im Down (1965):





Excelente música que Paul fez em homenagem a Little Richard, o beatle canta de maneira forte e marcante que dá um tom especial a música. Desde o inicio da canção vemos o beatle com cara de buldogue canta-lá com uma força que dá a impressão de que seus pulmões iram explodir. Adoro ela por que têm todo um som de blues, bem colocado por Paul, ás vezes parece que estou ouvindo algo de Chuck Berry ou Little Richard.


29. Get Back (1970):





A última música do último álbum lançado dos Beatles mostra bem como eles eram versáteis e incomparavelmente especiais. A música que conta com a participação de Billy Preston, foi composta por Paul McCartney e alcançou o número um nas paradas de vários países incluindo E.U.A e Reino Unido. Música eletrizante e animadora, começa contando a história de Jojo, e depois conta a história de Loretta, mandando os dois voltarem para a terra a qual pertencem.


28. I am The Warlus (1967):





Mais uma daquelas músicas nonsense de John, que não dizem nada e ao mesmo tempo falam tudo. Adoro essa canção, por que eu consigo ver um significado nela por trás de todo o psicadelismo empregado: I am he, as you are he, as you are me and We are all together. Gosto dela, pois expõe os sentimentos bagunçados e as viagens em que os jovens do final da década de setenta passavam, escrita durante duas viagens de ácido diferentes, John Lennon foi genial ao compô-lá.


27. Can't Buy Me Love (1964):





Uma das minhas prediletas da época da beatlemania, composta por Paul meu beatle favorito e John, fala sobre como o dinheiro não pode comprar o amor. Muito fofa, mostra a perfeição das musicas da banda, que até quando faziam canções populares conseguiam ser perfeitos, amo a melodia e a letra composta pela bela dupla Lennon/McCartney. Quem dera as bandas populares de hoje compusessem algo como Can't Buy Me Love.


26. You've Got Hide Your Love Away (1965):





A bela melodia de You've got to Hide Your  Love Away é cercada por várias histórias, uma delas é que a música de John faz referência a um breve caso de John com Brian Epstein empresário da banda quando eles fizeram uma breve viagem a Espanha em 1963, nua biografia de John fala que o garoto masturbou o empresário apesar de Lennon negar isso numa entrevista a Playboy em 1980. Apesar de todos os rumoresVocê têm que esconder seu amor ás vezes é uma excelente canção do albúm Help! que mostra o auge da Beatlemania nos E.U.A.


25. Golden Slumbers/ Carry That Weight:





Grande composição de Paul, foi tirada de uma música de ninar vista no caderno de sua irmã Ruth. Quando Paul viu a música no caderno de sua irmã ficou impressionado com a letra, porém ele não sabia ler a melodia, assim ele mesmo a escreveu. A canção Golden Slumbers foi gravada no mesmo bloco que Carry That Weight assim formando apenas uma música, que marcou o lendário Abbey Road.


24. Hapinness Is a Warm Gun (1968):





Uma das mais fantásticas composições do Álbum Branco é Happiness Is a Warm Gun, porém ninguém sabe ao certo o significado da canção apesar de John ter falado que tirou o titulo de uma revista de armas que George Martin havia lhe mostrado. Alguns dizem que a música é inspirada no desejo sexual de John por Yoko ou em seu vicio em heroína, porém nada disso foi confirmado por nenhum dos Beatles. O que importa é que essa é uma ótima música para se ouvir e se animar.

23. Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band (1967):


Música título do álbum mais aclamado pela crítica, Sgt. Peppers é uma das primeiras canções de Hard Rock já gravadas, e faz parte da abertura do disco idealizado por McCartney que queria que os beatles criassem alter egos. Para quem acredita na lenda Paul Is Dead, no afinal da música haveria uma referência ao sósia de Paul, Billy Shears.

22. Michelle (1965):


Uma das minhas prediletas de Paul, Michelle já tinha suas primeiras estrofes desde a época do Quarry Men, então durante as gravações de Rubber Soul, John sugeriu que os dois a terminassem, e assim surgiu está obra prima. As estrofes em francês, Paul pegou com a mãe de Jane Asher que dava aulas do idioma. Simplesmente betlástica, uma das melhores de Rubber Soul.

21. Eleanor Rigby (1966):


Excelente composição de McCartney, fala sobre as pessoas solitárias e seu cotidiano sofrido. Adoro a melodia harmoniosa, típica de algumas baladas do disco Revolver, feita com uma letra impecável que contou com uma ajudinha de Lennon.

20. While My Guitar Gently Weeps (1968):


George Harrison com My Guitar Gently Weeps conseguiu mostrar que tinha o mesmo potencial que Lennon e McCartney, o mistico beatle que tinha sempre suas composições ignoradas compôs uma das canções mais marcantes do FabFour, e uma das melhores do Álbum Branco. Algo bem interessante é o fato de George ter chamado Eric Clapton, para ver se os seus exaltados companheiros de banda se comportavam melhor, e deu certo, Clapton deu uma de quinto beatle e inseriu um solo de guitarra místico na canção do seu amigo George.

19. Revolution (1968):


Essa mágica canção do White Album é marcante com esses riffs de guitarra que grudam na cabeça,  e o jeito despojado que John Lennon toca num assunto tão complicado como revolução. Bem ao estilo Beatles, eles conseguem tratar de um assunto importante, sem cair nos clichês, realmente fantástica e inteligente.

18. If I Fell (1964):


A bela balada de Lennon/McCartney fala sobre um rapaz que têm medo de entrar numa relação séria e acabar se ferindo. O que eu mais gosto na canção é a harmonia das vozes, que no refrão se fundem em apenas uma, mostrando como a vocalização dos garotos era impecável. No começo eu não gostava dela, mas hoje vejo como ela é tocante, uma das mais belas baladas da banda.

17. Strawberry Fields Forever (1967):


Canção composta por John Lennon é uma das maiores obras do grupo, Strawberry Field era o nome de um terreno  que ficava em Liverpool onde se localizava o Exercito da Salvação Lennon costumava brincar lá na sua infância. A música era para entrar no disco Sgt. Pepper's porém ficou de fora já que seu EP foi lançado bem antes da finalização do álbum (algo que George Martin lamenta). A música possui efeitos de aceleramento e depois lentidão. Uma música mistica com efeitos psicodélicos ótimos mostra como John Lennon sempre foi um ótimo compositor.



16. All You Need Is Love (1967):


Uma das músicas mais famosas de todos os tempos possui uma história bem curiosa, a equipe do canal londrino BBC pediu que o grupo fizesse uma música que podesse ser entendida em todos os países do mundo pois seria transmitida a 26 países, John compôs All You Need is Love enquanto Paul compôs Hello Goodbye, o grupo selecionou All You Need is Love. Uma grande preocupação cercou a canção, o grupo possuia medo da canção ser executada ao vivo e sem playback já que Lennon estava muito debilitado graças as drogas, algo que não foi possivel, por sorte ocorreu tudo bem e ela foi executada normalmente e hoje é uma das maiores canções do grupo.

15. Nowhere Man (1965):


A filosófica Nowhere Man foi composta quase que inteiramente por John Lennon, e quase como todas compostas por John em Rubber Soul, ela mostra os sentimentos do cantor com o mundo, na época em que ele a compôs estava em depressão e se sentia um homem de lugar nenhum. Com um pouco de influência da música grega, Nowhere Man mostra as aflições de Lennon e seus sentimentos em frente a fama.

14. Norwegian Wood (1965):


A música que havia sido composta em maior parte por Lennon, conta de forma melancólica a história de um rapaz que é abandonado pela amante. Muitos especulam que ela foi feita inspirada numa relação extraconjugal de Lennon, porém a única coisa que temos certeza é que ela faz parte do ápice das composições de Lennon e McCartney. O citar foi introduzido quando eles chegara no estúdio para as gravações de Rubber Soul, e viram novos instrumentos, inclusive o citar que George usou com perfeição.

13. Yesterday (1965):


Ela é a canção mais regravada da história, acho que depois disso eu não preciso falar mais nada, mas eu quero. A música surgiu de uma melodia que não saia da cabeça de McCartney, parecia incrivelmente familiar para o beatle, então ele saiu perguntando para as pessoas se alguém já havia escutado-a e sempre ouvia um não, assim ele depois de muito tempo conseguiu escrever uma letra que caísse bem na melodia, porém os problemas não tinham ainda acabado, já que nenhum outro beatle conseguiu se encaixar na canção e Brian tinha medo que isso desse confusão entre Paul e John. Desavenças a parte, essa música mostra o talento de Paul, e que assim como Lennon ele era indispensável para a banda.

12. Hey Jude (1968):


Para uma música que têm quase oito minutos de duração e não é nada comercial ficar nos primeiros lugares das rádios ela têm que ser muito boa, e você pode ter certeza que Hey Jude é. A música foi escrita por Paul, enquanto ele ia de carro visitar o filho do amigo John, então no carro Paul cantarolava a canção e acabou vendo potencial nela, assim que chegou ao estúdio de gravação McCartney mostrou o sucesso para os amigos, que compraram a idéia e se divertiram na brincadeira de cantarolar o famoso: Na na na nanana Hey Jude.

11. A Day In The Life (1967):



Essa música consegue mostrar exatamente a genialidade de John e Paul como dupla. A música é a junção de duas letras distintas, uma de John que era baseada numa séries de acontecimentos mais não possuia meio e uma de Paul que era um miolo sem nexo ou sentido, ao junta-lás você vê o resultado da penúltima faixa de Sgt. Pepper's e a música escolhida como a melhor pela Rolling Stone, só não deixo ela em primeiro graças a conceitos pessoais e pela letra não conter uma história separada.

10. I Saw Her Standing There (1963):


É inexplicável falar de como essa música é mágica para mim, então vou falar sobre algo bem interessante; a primeira música do primeiro álbum dos Beatles começa com uma contagem que normalmente é retirada e a última música do último álbum dos Beatles se chama The End, só mesmo eles para fazerem isso. Quando ouço essa música meu coração faz Boom e eu não consigo parar de cantar, é minha música predileta da beatlemania e agradeço a Paul por ter escrito ela, pois toda vez que eu a ouço imagino garotas estérica correndo atrás dos Beatles e me pergunto por que eu não nasci antes para ser uma delas.

9. Something (1969):


Essa música é a grande prova de que George Harrison era tão grande compositor quanto Lennon e McCartney, o garoto franzino de Liverpool evoluiu e com o tempo chegou ao inesperado, e criou a segunda música mais regravada dos Beatles. A música de sinfonia impecável foi feita em homenagem a Pattie Boyd, que aparece no clipe junto com todas as mulheres dos rapazaes da banda.

8. Help! (1965):


Todas ás vezes que alguém me pergunta quem eram os Beatles eu mostro Help!, pois a música ilustra bem eles; os quatro rapazes cabeludos remexendo a cabeça e cantando alegremente. O que realmente me impressiona nessa composição não é o jeito beatle de ser deles e sim o fato de John Lennon colocar todo o seu sofrimento em uma música tão alegre, apesar da fama Lennon estava enfrentando uma fase de melancolia e Help! foi sua forma de pedir socorro, mesmo sem parecer. Depois do disco Help! a banda entrou na era pscicodélica, porém esse disco feito sobre o efeito da maconha é um dos meus prediletos.

7. Blackbird (1968):


Todas ás vezes que ouço Paul cantando sozinho consigo ver que ele era sim um grande gênio e que fez músicas mais memoráveis do que Yesterday ao contrário do que John falava, sozinho ele cantou; For no One, Yesterday e Blackbird três memoráveis canções dos Beatles mostrando como ele futuramente teria grande na carreira solo. Muitas das músicas do White Albúm são esquecidas, porém eu adoro todas elas, não é diferente com essa canção que McCartney compôs e teve sua melodia inspirada em Bach e fala sobre os direitos raciais nos E.U.A principalmente os relacionados as mulheres. Paul cantou essa música uma vez para fãs que acampavam em frente a sua casa, muitas pessoas torcem para que o ato se repita.    

6. Im Only Sleeping (1966):


Tenho mais do que certeza que muitos vão discordar do fato de eu ter colocado essa música num lugar tão alto da lista, porém é sobre as músicas que eu amo que estou falando, e eu adoro essa composição de Lennon assim como todas as outras que estão em Revolver. A música fala sobre como é bom dormir e ficar na cama, nela você consegue ouvir um solo de guitarra ao contrário colocado eletronicamente porém executado por Harrison. Não tenho muito o que falar, Revolver é mágico, e quando ouço a voz de John nessa música eu fico encantada e não consigo me conter, uma dica para vocês é ouvirem ela na versão Beatles Anthology por que é realmente fantástica.

5. We Can Work It Out (1965):


Uma música que teve colaboração de três dos Beatles não poderia deixar de ser tão boa quanto We Can work It Out. Paul começou a escreve-lá graças a uma briga com sua namorada Jane Asher, então levou seus poucos versos para que John o ajudasse a completar, e então apareceu George com a sugestão de colocar ritmo de valsa numa das estrofes, assim estava pronta a brilhante música que alcançou facilmente o topo das paradas mundiais. Eu sempre escuto ela, e penso como ás vezes brigamos por besteiras, e não vemos pelo lado de nossos companheiros, então lembre-se quando surgir algum problema você poderá trabalhar nele.

4. In My Life (1965):


Eu acho que tenho muito a dizer sobre In My Life, pois eu nunca vi uma música misturar amor e melancolia de uma forma tão perfeita, toda vez que eu a escuto entro em um transe de pensamentos e me pergunto: Por que tudo acabou? A melhor banda da história que era formada por quatro grandes amigos terminou em discussões e disputas de egos, hoje quando ligo o rádio ouço Restart sendo chamado de música enquanto a algum tempo atraz um cara foi capaz de compor uma das sinfonias mais belas que já existiu. Essa música é simplesmente perfeita, eu me arrepio toda vez que eu a escuto, se você conseguir ouvir ela pelo menos uma vez irá entender por que os Beatles foram a maior banda de todos os tempos. 

3. Here Comes The Sun (1969):


Eu realmente amo todas as músicas de George, mas o que me encanta nessa música é o fato dela conseguir ser otimista mesmo quando tudo ia mal na banda, todos brigando por dinheiro e status e Harrison faz uma música alegre e otimista como essa, quando escuto ela sinto vontade de correr e me divertir por que Aqui vem o sol e eu digo; está tudo bem por que mesmo eles tendo acabado eu sempre poderei ouvir músicas como essas.

2. For No One (1966):


Eu particularmente odeio baladas, mas essa é especial, Paul escreveu para a sua namorada Jane Asher, mas eu realmente não me importo nem um pouco pelo motivo que ela foi escrita, pois ela consegue ser tão perfeita e exata que é difícil de explicar, realmente é mistico quando Paul canta sozinho (apesar de que Ringo toca bateria nessa música), a letra é linda o ritmo acompanha e meu coração aperta todas ás vezes que ela toca. Um dos motivos para eu fazer essa lista foi ver que na classificação da Rolling Stone ela estava nos últimos lugares perto de músicas que nem eram boas, essa é a minha lista, essa uma das minhas canções favorita pois a partir do dia em que eu a ouvi eu descobri como amo os Beatles. 

1. Im Looking Throught You (1965):


Essa pra mim é extremamente especial, pois mostra como ás vezes as pessoas mudam e nem conseguimos mais reconhece-lás. A letra foi composta quase que totalmente por McCartney, e fala sobre seu relacionamento com Jane Asher, me emociono toda vez que escuto o começo hipnótico de violão e todo o seguimento perfeito da música. Amo o Paul, amo os Beatles, e por mais que muitos desaprovem essa é a minha favorita. Ás vezes olhamos para alguém que amamos e não vemos a mesma pessoa, e em alguns versos Paul mostrou como é esse sentimento. Impossível listar apenas cinquenta músicas boas dos Beatles, mas não ligo para o que os outros pensam pois esse é o meu som favorito deles. São nessas horas que eu me pergunto, por que teve que acabar um sonho tão lindo.


8 comentários:

Anônimo disse... Responder Comentário

em help vc falou em 5 rapazes cabeludos?

G.C disse... Responder Comentário

Problema resolvido anônimo. Obrigada, é que são tantas músicas que eu me confundo.

Anônimo disse... Responder Comentário

1. "Strawberry fields forever"
2. "A day in the life"
3. "Something"
4. "Yesterday"
5. "Come together"
6. "In my life"
7. "I want to hold your hand"
8. "Let it be"
9. "Hey Jude"
10. "While my guitar gently weeps"

Respeito a sua opinião,mas como músico e profundo conhecedor dos Beatles,eu achei que a revista foi perfeita na escolha das 10 primeiras posições,só inverti algumas ordens,mas sem dúvida são as melhores músicas dos Beatles.
Óbviamente,que assim como a "Rolling Stones"só estou avaliando a qualidade das músicas e não a mídia que elas tiveram,pois nem sempre as mais famosas são as melhores e essa votação comprova isso.

Anônimo disse... Responder Comentário

Otima lista...mas colocaria Let it be, Hey Jude e Yesterday facil entre as 10...Something e In my life são perfeitas...

Anônimo disse... Responder Comentário

Lista muito boa,parabens, so que eu colocaria "Across the Universe"e"All my Loving"facilmente entre as primeiras.

Anônimo disse... Responder Comentário

Ótimo lista, parabéns!

Sem entender tanto de música e apenas baseado em minha opinião, as minhas dez melhores seriam:

1 - All my loving
2 - In my life
3 - Let it be
4 - She came in through the bathroom window
5 - With a little help from my friends (me perdoem os mais fanáticos, mas na versão do Joe Cocker ela ganharia duas ou três posições)
6 - If I fell
7 - All you need is love
8 - Come together
9 - We can work it out
10 - Something

Anônimo disse... Responder Comentário

Estou loooonge de ser uma fã dos beatles mas...
While my guitar é perfeita. Da guitarra qsa transendental, da voz de paul, contida mas emocionante, e a letra simples e linda. Uma obra de arte deles, uma das minhas musicas favoritas!

Tbm gosto de let it be e all you need is love. E me perdoem os fãs, mas não gosto de yesterday...

Anônimo disse... Responder Comentário

sou betlemaniaco esta e minha lista

1-yesterday
2-something
3-hey jude
4-TWIST AND SHOUT(COMO ELA ESQUECEU NEM ENTRE AS 50 )
5-let it be
6-blackbird
7-all my loving
8-hello goodbye(muito especial pra mim primeira musica q ouvi deles)
9-eleanor rigby
10-michelle(minha mae adora)

Postar um comentário

Comentem livremente.
Comentar pode até não emagrecer, mas também não engorda!

Compartilhe