26/05/2012

O declínio do cinema, com bons filmes realistas sendo ignorados

Retratarei agora sobre um tema polêmico e ao mesmo tempo interessante, esse seria o cinema, que produz discussões acaloradas entre cinéfilos. Inspirada pelo lançamento do remake de LOL, com Miley Cyrus, farei uma breve crítica as produções hollywoodianas que a cada dia diminuem de qualidade. Espero que gostem, sendo que não sou profissional no assunto, isso aqui é apenas minha opinião.

Como sempre, o dinheiro destrói as coisas mais preciosas que possuímos, qualquer área que ocorra grande movimentação de capital é corrompida pela ganância de seus organizadores. Isso ocorre com; a música, política, esportes, e até mesmo o cinema que é um grande mecanismo da mídia.

O cinema é uma majestosa forma de arte, porém a cada dia está ficando mais artificial, perdendo componentes interessantes que foram esquecidos ao longo dos anos. Numa área que movimenta bilhões de dólares anualmente, ás vezes o dinheiro fala mais alto, e com a ajuda da terrinha do Tio Sam as coisas começam a piorar.






Os filmes atuais estão regredindo, produções como Jogos Vorazes, que tiveram toda sua essência perdida para conseguir maior público são prova disso, já que a trama original foi totalmente modificada para conseguir extrair uma história mais amena e diminuir a faixa etária. 


Filmes deixaram de ser arte, para virar mais um produto da mídia para arrecadação de dinheiro e alienação das massas. Exemplo disso é o filme LOL-Rindo á Toa (excelente comédia adolescente que retrata os causos dessa fase tão conturbada, sem frescuras), receber um remake vergonhoso com a inexpressiva Miley Cyrus no papel principal (para chamar público), tendo corte das cenas com maconha e bebidas, tornando o filme tão realista quanto a novela Malhação.


Filmes europeus normalmente possuem excelente qualidade, com histórias compatíveis com os conflitos que passamos na realidade, mas esses filmes recebem menos destaque do que aquelas irritantes sequências jogadas por Hollywood para as massas assistires, exemplo disso é Crepúsculo que têm como protagonista uma pessoa inexpressiva, receber mais destaque do que um longa excelente como Meninas não choram.






As pessoas em grande parte são culpadas pelo fato da sétima arte se encontrar em situação tão decadente, já que filmes ruins possuem maior público do que longas bem produzidos. As pessoas são tão torpes que dão maior audiência a uma baboseira sem sentido como Jogos Mortais ao invés de pagar para assistir algo decente como Contágio.


Meninas na pré-puberdade aguardam um ano inteiro para ver Kristen Stewart atuar tão bem quanto minha avó, num filme tão bem produzido quanto os dos Trapalhões. E essa situação é agradável para os grandes estúdios, pois eles não precisam de muito para conseguirem faturar, assim produzem lixos para pessoas alienadas que se contentam com qualquer merda.


Raramente encontramos produções americanas tão dignas quanto clássicos como Laranja Mecânica ou Psicose, filmes esses que alteraram as ideologias de uma geração. Ás vezes podemos assistir bons filmes como Clube da Luta ou Segundas Intenções, mas essa situação fica cada dia mais rara, já que A Última Música é bem mais lucrativo do que um Precisamos Falar Sobre o Kevin.






Algo que me causa enjoo são pessoas imbecis que ficam fascinadas com filmes tão horríveis quanto Transformers, mas não possuem capacidade o suficiente de apreciar o humor ácido de Juno ou compreender a elaborada trama de Aos Treze. A sociedade está regredindo a um ponto onde filmes ruins são idolatrados, e produções extremamente realistas vindas da Europa são tidas como coisa de doido.


Não tenho muita paciência para o romantismo hollywoodiano, onde o príncipe encantado aparecerá e resolverá todos os nossos problemas, cresci e tenho maturidade o suficiente para saber que na vida real as coisas não são tão bonitas assim, por isso recuso assistir O Amor Acontece e fico ansiosa para poder compreender a complexidade de Tomboy.


Os filmes estão se afastando da realidade e criando um mundo utópico e desinteressante, não vejo problemas em sonhar um pouco, mas fico saturada com a variedade de comédias românticas produzidas, e o fato de todas elas parecerem o mesmo filme. Sinto falta de imaginar qual será a cena final de determinado longa, já que a partir do momento que leio a sinopse já sei o que ocorrerá.


As pessoas são muito alienadas, necessitam de um balde de água fria como Christiane F ou Transpoitting. Os adolescentes precisam ver que as coisas não são tão perfeitas quanto em Hannah Montana, pois quem está na adolescência não fica tomando Coca-Cola, e as mais diversas experiências contribuem na formação de um adulto.






Hollywood produz sequências intermináveis de filmes ruins, além de outros que são cópia dos que vieram antes. O dinheiro tornou os filmes artificiais, criando uma realidade perfeita que atraía alienados que não possuem coragem de lidar com a vida real.


Não vejo nenhum problema em rir com um Se Beber Não Case!, mas estou saturada de ver gente lotando os cinemas para apreciarem The Runnaways só porquê a protagonista fez Crepúsculo, deixando de lado todo o legado de Joan Jett.


Não gosto de um cinema alienado, e enquanto os filmes americanos não melhorarem eu vou continuar assistindo produções passadas, ou rindo do realismo Europeu. Gosto de situações verdadeiras e de ter contato com o imprevisível, não de financiar pessoas sem talento. Os Estados Unidos ganham o crédito, mas atravessando o Atlântico eu encontro coisa muito melhor.


Produções do passado eram muito melhores do que as norte-americanas atuais, mas já que faço parte da geração da artificialidade, o cinema estadunidense está conseguindo ilustrar bem isso, e contribuindo para criação de mais pessoas emburrecidas. Eu vou contra as massas e procuro o decente ao invés de me acostumar e dar dinheiro para o ruim. Ou você prefere assistir um Amor Por Contrato no lugar de Meninos Não Choram?



10 comentários:

Kidjapa disse... Responder Comentário

Brasileiro gosta de ver filmes nos quais não são necessárias nenhuma atividade neural. Inception abriria um rombo neural, causando a morte de muitos brasileiros por ai, laranja Mecânica, teria milhões de habitantes dizendo que não entenderam nada do filme, e dizendo que o filme é horrível.
Mas acho que é somente uma mania de brasileiro. (só minha opinião)

Dr. Belaou disse... Responder Comentário

Ainda nao consigo entender o quanto odio da serie Trasnformer...é um bom filme, nada excepcional, mas é bom, nao tem uma historia, UAL mas é legal de assistir!...quanto odio contra esse filme!...Do resto concordei contigo, principalmente do legado da Joan Jett :/

Anônimo disse... Responder Comentário

Segundas Intenções? Juno? Meninas Não Choram? Tudo filme ruim de doer. Europeu? Tirando alguns poucos ingleses o restante é de dar vômito. Crepusculo e outros afins realmente são tenebrosos. Transformers? Diversão pura e simples, a luta do bem contra o mal. Sua mente cinéfila vaga entre grandes acertos e enormes erros.

Anônimo disse... Responder Comentário

O povo tem necessidade de falar ne? Falar bem, falar mal, falar de qualquer jeito, ou reproduzir o que uma pessoa inteligente disse.

Se lembra de Méliès? Ou de Buñel? Eles queriam mostrar em seus filmes como seria o nosso mundo de forma "alienada" pra você, diferente. Cheio de sonhos e encantos.

Filmes, TEM de ser diferentes, não existe um CERTO! "Olha, eu curto cinema europeu, sou cult, sou inteligente!" sai dessa ne?

Concordo em parte, de falar que o visual agrada mais o público geral do que uma história bem contada, com profundas filosofias, críticas enfim. Mas, isso sempre existiu e sempre vai existir.

Os mestres que você gosta hoje (antigos) são os que antigamente eram criticados exatamente como você está fazendo, falando mal dos cineastas que fazem tais filmes "hollywoodianos".

Deixe que a variedade exista. Deixe que cada um se encontre. Ninguém é dono de ninguém. Se alguém lhe oferece algo que quer vender, cabe a você a decidir se vale a pena ou não comprar ou não. Cada um com sua arte!

Anônimo disse... Responder Comentário

Nem sempre devemos levar a sério tudo, filmes fazem parte da industria de "Entretenimento" (distração, divertimento) e tem exclusivamente a finalidade de "passa-tempo".
Não é toda vida que estou com vontade de assistir somente Stanley Kubrick ou Pedro Almodóvar, de vez em quando ou quase sempre, Os Vingadores, Senhor dos Anéis ou Gladiador( este o melhor filme que já assisti) nos fazem sair deste mundo tão chato e cheio de injustiças, acho a série Crepúsculo um lixo e não recomendo a ninguém, mas levar essa filosofia tão a sério é um câncer.

PQbithy disse... Responder Comentário

aaaaaaah, sabe, eu te entendo, penso igual a você! Sabe, eu tenho 14 anos agora, mas gosto de filmes que mexem com o psicolgico e o profundo, que quando acaba vc fica pensando na vida como ela é. Eu simplesmente adoro filmes europeus, tal qual tomboy (amei mesmo), os sonhadores (que minha mãe não me ouça agora ¬¬), Meninos Não Choram (viciada em cultura nipônica ¬¬) e filmes antigões, como e o vento levou (amei esse filme), ben-hur, sou ou não sou, sabe, naquela época, os filmes duravam hooooooras, tinham conteúdo, uma história para contar, mas hoje...q vergonha...por isso eu te entendo, e entendo tb que cada qual tem um gosto, por isso não não vale nem a pena discutir com pessoas om opiniões diferentes. Mas, seria bom se o cinema hollywoodano não desperdiçasse atores bons, por que eu sei que tem, em filmes sem conteúdo nenhum.
bjos, té.

Anônimo disse... Responder Comentário

Ah, todo mundo adora ver filmes cults, quem não gosta de parecer cult? Vou ser bem sincera, acho que 90% das pessoas que reclamam de Crepúsculo, Os Vingadores, Jogos Vorazes, enfim, filmes de modinha, só querem parecer inteligentes. Existem muitos filmes "de modinha" que são bons, as pessoas que só vêem filmes cults só não gostam de admitir isso. Não é sempre que a gente quer ver um filme tipo Laranja Mecânica ou Sr. Ninguém, que exigem reflexão e balançam o psicológico. Ou vai dizer que depois de um dia inteiro de trabalho cansativo, você vai sentar numa cadeira e ver um filme cult? Não, claro que não, você vai querer sentar numa poltrona e esquecer os problemas.
Acho que gosto é gosto. Não dá pra falar que a arte está morrendo só porque as pessoas gostam de filmes que não precisam de reflexão nenhuma para serem entendidos.
Além disso, aposto com vocês que daqui a algum tempo, tipo daqui a uns 50 anos, Crepúsculo e Os Vingadores vão ser considerados os picas das galáxias no âmbito da arte, quando comparados ao que vão lançar nessa época.

mariana disse... Responder Comentário

Você cita a produção no conceito de ser considerada como arte. Hitchcok durante muito tempo não teve sua obra cinematográfica considerada como arte. E fica a pergunta, quem disse que cine pipoca não é bom ? O que tem matado o cinema atualmente é a necessidade de remakes, reboots e adaptações para as telas..

Anônimo disse... Responder Comentário

Desde quando "Aos treze" tem uma trama elaborada? Exceto pelo romance entediante, "Amor por contrato" é muito mais bem elaborado do que o outro. Começando pelo título, que faz uma clara alusão a uma expressão idiomática de língua inglesa que critica o consumismo (mesmo que de maneira velada).
Você deve ser apenas uma adolescente revoltada com a vida que quer ser diferente e acaba falando m*rda. Tudo bem, uma hora você cresce.

G.C disse... Responder Comentário

@Anônimo Acho completamente madura sua atitude de julgar alguém pela idade, principalmente quando você não possui a mínima referência sobre ela.

Esse post foi sobre a minha opinião, Acredito que 'Amor por Contrato' poderia ter sido muito mais invasivo, mas se tornou apenas mais um dramalhão de Hollywood, deixando de encarar realmente os problemas, e deixando mais bela a realidade, o filme é bom, mas poderia ter sido melhor e menos superficial.

Aos treze é um excelente alerta aos adolescentes, que veio das grandes mídias com aspecto de filme Underground,serve para conscientizar, ao contrário de outros besteiróis.

Postar um comentário

Comentem livremente.
Comentar pode até não emagrecer, mas também não engorda!

Compartilhe