27/06/2012

Adolescência

Estava pensando e analisando as mais variadas hipóteses de postagens, infelizmente não surgiam idéias originais e boas. Assim fui escutar meu bom e velho iPod, e acabei ouvindo Cara Esperto do Forfun, algo que me proporcionou uma maravilhosa sensação nostálgica sobre a curtição inconsequente de um adolescente. Vou escrever um pouco sobre isso, espero que gostem.

As neuras adolescentes, já tiraram o sono de muitos, deprimiram outros tantos. A maioria delas passam, mas ficam fixadas em nossas mentes, arrancando risadas dos bons momentos de despreocupação, onde a felicidade pulsava nas veias do corpo, enquanto você ficava preso nas mais loucas aventuras.

O que resta é a saudade, além das boas lembranças que te acompanharão pela vida toda. Hoje um engravatado, todo arrumado, antigamente tinha os olhos vermelhos ao entrar na escola emburrado. Reclamava dos professores, agitava a classe com os amigos, fugia para fumar seus primeiros cigarros e ficava preso em contos dramáticos.


Matava as aulas entediantes, e andava de skate sentindo a brisa. Enchia a cara numa festa por pirraça, ria daqueles que não curtiam sua cachaça. Boné para frente ou trás, querendo dar uma de despreocupado, mas por dentro estava agitado para conquistar as menininhas na balada. Quem diria que as aventuras e amigos iriam embora sem se despedir, e que mesmo conquistando tudo o que sonhava, você não seria tão feliz.


A felicidade estava nos pequenos atos e delitos, as aventuras adolescentes, o frio na barriga que antecede cada ato indecente. Os encaminhamentos a direção do colégio, seus protestos e gritarias sem nenhum nexo. Tinha bastante moral na classe, fazia de tudo para que seus pais te mimassem, e perdoassem as reclamações constantes dos professores entediantes.


Um dia essa realidade acaba ficando distante, você têm que ir adiante, a rotina vira apenas lembrança, a vida adulta rouba todas as suas esperanças. A ternura se perde, os valores são consumidos e você fica preso pela mídia nesse mundinho de consumismo. A nostalgia te alegra e deprime ao mesmo instante, pois você sente muita falta do tempo em que as coisas ocorriam de forma correta.


Lembranças ficam, seus romances passam, porém ficam gravados. Aqueles dramas adolescentes, com paixões repentinas, da época em que sua inocência se perdia. Acordando das mais loucas ressacas, você recorda de todas aquelas garotas gatas, que você investia com as mais baratas cantadas. Meninas fanáticas por Blink, e os rapazes seguindo a trilha de First Date, assistindo American Pie.


As primeiras gramas de maconha compradas, sua mente ficava lenta e acelerada. Brincadeiras toscas entre amigos, enquanto você era regido pelo lema ''sem bad trip nada me abala, abra sua mente e faça sua mala''. Meninas como eu, metidas em paixonites constantes, engatando variados romances, ficando com alguns nas loucas festas e mantendo a esperança de que aquilo seria mais do que um lance.


O seu sorriso vai sendo apagado aos poucos, amigos do colégio somem. O mundo adulto é muito mais difícil, não é mais aquele professor de matemática chato seu maior inimigo, chega de zoação e tietagem, é hora de encarar a realidade. As festas da galera não são mais seus programas, a porra ficou séria, juntamente com seus dramas.


Acabou a época de farra e histórias divertidas, seu mundo aos poucos foi caindo. Os amigos desaparecem, os sonhos são compactados e você é só mais um adulto empregado. Chega de correr sem rumo, gargalhadas bestas soltas na sala de aula, paqueras chatas ou tardes ensolaradas, sua realidade hoje é um escritório lotado de papeladas.


Talvez seja triste ou decepcionante o fim dessa etapa, porém tudo isso só é mais uma parte do tempo de crescer. Você sentirá falta do seu violão ou skate, da sala da coordenação ou das festas que viravam madrugadas, mas essa parte da vida foi finalizada. O que resta é a saudade do colégio onde você estudou, dos amigos que passaram sem se despedir ou dos atos imaturos de um adolescente desesperado, é difícil seguir em frente, mas é exatamente isso que os outros esperam da gente.


Tudo isso fez parte dessa caminhada, ás vezes você ainda resgata vestígios dessa felicidade passada, pois a vida de adulto é triste e sua única oportunidade de escapar será uma louca viagem há Terra do Nunca. Porém apesar de tudo, os causos adolescentes ficaram guardados na memória, e formam o adulto que você é agora. 


Talvez você tenha todo o dinheiro que você sempre quis, mas será que isso realmente te faz feliz? Talvez você seja perseguido pela saudade das coisas que o tempo fez com que você perdesse, saudades da diversão com coisas banais.


5 comentários:

Anônimo disse... Responder Comentário

''O que resta é a saudade, além das boas lembranças que te acompanharão pela vida toda. Hoje um engravatado, todo arrumado''. Disse tudo, a gente vive nossa adolescência querendo ser adulto pra ganhar todo o dinheiro e liberdade que nos falta. Um dia abrimos os olhos e vemos que estamos bem no lugar que por tanto desejamos, crescidos, independentes e com dinheiro no bolso e, o pior, estagnados em um lugar ao qual não pertencemos. Triste.

Alex Plunk disse... Responder Comentário

Alguém pode me explicar esse site?

http://www.strellato.com.br

Não to entendendo nada o.O

Giovanna Carneiro disse... Responder Comentário

@Alex Plunk O mundo que nós vivemos é lindo, o problema são os seres idiotas que o habitam

Daniel disse... Responder Comentário

Parabéns pelo texto!
Nostalgia é vida!

Beijos!

Anônimo disse... Responder Comentário

gostei do texto, mt bom, parabéns

Postar um comentário

Comentem livremente.
Comentar pode até não emagrecer, mas também não engorda!

Compartilhe